Colocação do Colar Cervical
Colar Cervical não-regulável

TAMANHOS:
Neo natal – Rosa
Pediátrico – Lilás
Pequeno – Azul
Médio – Laranja
Grande – Verde

O profissional (1) deverá fazer a estabilização manual e o alinhamento da coluna cervical para uma posição neutra.

O profissional (2) deverá avaliar a região cervical, identificando possíveis contra-indicações para a colocação do colar cervical e retirar suavemente os adereços e vestimenta do pescoço para que estes não interfiram no procedimento.

Contra-indicações:
– Objeto encravado no local de colocação do colar.
– Ferimento com sangramento intenso (fazer curativo compressivo
antes da colocação do colar).

Não sendo identificado nenhuma contra-indicação, o profissional (2) deverá fazer a medição e a colocação do colar cervical adequado.

A escolha do tamanho do colar cervical.
– A escolha do tamanho ideal para o paciente é feita medindo-se
(utilizando os dedos) a distância entre uma linha imaginária na
base do pescoço (músculo trapézio) onde o colar ficará apoiado e
o ângulo da mandíbula da vítima. Para se fazer esta medição o
pescoço deverá estar alinhando e em posição neutra.

– A medida exata do colar é a distância entre o ponto de
referência (fixação preta) e a borda inferior do plástico rígido. Não
se deve medir até o acolchoado de espuma.

4) O profissional (2) deverá montar o colar cervical.
O colar é montado através do movimento do botão fixador em cor
preta até o orifício (ponto de referência) na porção superior interna do colar e então ajustando a fixação preta totalmente através do estreito orifício.
Pressione firmemente.

O profissional (2) deverá colocar o colar na vítima.
5.1) Vítima sentada.
-Colocar o colar cervical iniciando pela parte do queixo,
deslizando o colar sobre o tórax da vítima até que seu queixo
esteja apoiado firmemente sobre o colar (parte anterior).
– Passar a parte posterior do colar por trás do pescoço da vítima
até se encontrar com a parte anterior.
– Ajustar o colar e prender o velcro observando uma discreta folga
entre o colar e o pescoço da vítima.

Vítima deitada
– Passar a parte posterior do colar por trás do pescoço da vítima.
– Colocar a parte anterior do colar cervical, encaixando no queixo
da vítima de forma que esteja apoiado firmemente.
– Ajustar o colar e prender o velcro observando uma discreta folga
entre o colar e o pescoço da vítima.
Observações

O uso isolado do colar não imobiliza adequadamente, portanto, o
profissional (1) deverá manter a imobilização e o alinhamento da cervical até a colocação do paciente na prancha rígida e a fixação dos estabilizadores de cabeça.

Os colares devem ser de tamanho adequado para cada paciente e não devem impedir a abertura da boca do paciente, espontânea ou realizada pelo profissional caso ocorra vômito.

Sempre se deve observar se após a colocação do colar houve uma obstrução ou uma dificuldade de ventilação.

Referências: PHTLS, 6º edição; http://www.marimar.com.br;
http://vmerchc.no.sapo.pt/…/…/trabalhos/Trauma/escolh_coloc_
C.htm; http://www.portaldafenix.com/index.php?topic=18242.0;
http://www.bombeirosemergencia.com.br/analiseprsec2.htm

Comentários

Comentários