NR-10 – Segurança em instalações e serviços com eletricidade

Estabelecida à fim de garantir a saúde e segurança no trabalho dos colaboradores atuantes diretamente e indiretamente em serviços e instalações com eletricidade.
A carga horária do curso básico é de 40 horas, tendo como complemento o SEP (Segurança no sistema elétrico de potência) também com 40 horas, a requalificação do curso é reduzida para 20 horas.

Dúvidas frequentes
“Sou bombeiro, mesmo assim preciso fazer a parte de primeiros socorros e combate à incêndio ?”
R: Sim, a parte de primeiros socorros e combate à incêndio é focada em emergências que envolvam eletricidade, além do mais, por se tratar de um curso livre não existem meios de abater cargas horárias de cursos similares.
——————————————————————————————————————————

NR-20 – Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis

Estabelecida à fim de garantir a saúde e segurança no trabalho dos locais e trabalhadores que armazenam e/ou manipulam líquidos e gases inflamáveis e combustíveis.

A carga horária do curso varia de acordo com o tipo de atividade que é realizado com os materiais citados, com níveis de capacitação de acordo com o risco.

Dúvidas frequentes
“Sou bombeiro, consigo reduzir a carga horária do curso ?”
R: Não, por se tratar de um curso livre não existem meios de abater cargas horárias de cursos similares.
——————————————————————————————————————————
NR-33 – Segurança em entrada e trabalho em Espaços Confinados

Estabelecida à fim de garantir a saúde e segurança no trabalho dos colaboradores atuantes diretamente e indiretamente em Espaços confinados

A carga horária do curso varia de acordo com a sua função na atividade
Executante ou “trabalhador” (profissional que adentra o espaço) – 16 horas
Vigia – 16 horas
Supervisor de entrada e trabalho – 40 horas

Dúvidas frequentes
“Tenho alguns espaços na minha empresa, porém, não sei se realmente é um espaço confinado”
R: Para que seja considerado um espaço confinado, sua identificação deve ser por um responsável técnico indicado formalmente pela contratante (sua empresa). O profissional técnico avaliará os seguintes parâmetros especificados pela NR-33 e NBR 16.577:
1º Área não projetada para ocupação humana contínua
2º Possua meios limitados de entrada e saída (de forma qualitativa e não quantitativa)
3º Não possui ventilação natural, quando tem, é insuficiente para remoção de contaminantes e troca de gases atmosféricos
4º Pode possuir pouco ou nenhum oxigênio

Para precisão, consulte um de nossos consultores técnicos e solicite uma visita técnica, será emitido um relatório técnico com o formulário/cadastro de todos os espaços confinados da sua empresa.

——————————————————————————————————————————
NR-35 – Trabalho em altura

Estabelecida à fim de garantir a saúde e segurança no trabalho dos colaboradores atuantes diretamente e indiretamente em serviços em altura. Caracteriza-se trabalho em altura quando há uma diferença de nível superior a 2 metros, à partir da análise preliminar de risco será estabelecido procedimentos de segurança como medidas de controle para eliminação/redução de danos, sendo assim, os trabalhadores envolvidos poderão executar suas tarefas de forma segura.

Carga horária: no mínimo 8 horas sendo, 4 horas teóricas e 4 horas práticas.

Dúvidas frequentes
“Realizando o curso estarei apto para trabalhar em altura ?”
R: A capacitação em trabalho em altura conforme os parâmetros da NR-35, estipulada pelo antigo Ministério do Trabalho e Emprego, hoje Ministério da Economia, capacitará e dirá apenas os procedimentos de segurança para que a atividade ocorra com redução de riscos e danos. A aptidão para trabalho em altura será dada pelo ASO (Atestado de saúde ocupacional) emitida por um médico após avaliação.
——————————————————————————————————————————
NR-23 – Segurança contra incêndio

A segurança contra incêndio é estabelecida por um conjunto de legislações à base de decretos, portarias, referências normativas e instruções técnicas de cada estado.

Portanto, a norma regulamentadora de segurança contra incêndio especifica que as diretrizes serão reportadas à legislação estadual, ou seja, atendendo as exigências do seu estado, atenderá a NR-23.

Dimensionamento, venda, recarga anual  e manutenção de extintores – em conformidade com a NBR 12.692 e NBR 12.693, ITCB-21/19.

Água pressurizada – Indicado para materiais sólidos que queimam em superfície e profundidade como papel, madeira, plástico, borracha, tecidos, etc.
Pó químico seco – Indicado para líquidos inflamáveis, líquidos combustíveis e gases
Gás Carbônico – CO² (dióxido de carbono) – Indicado para materiais e equipamentos energizados (baixa tensão)
Pó ABC – Bicarbonato de sódio e monofosfato de amônia – Indicado para veículos e locais que possuem as três classes de incêndio acima.

Também é realizado à cada 5 anos o teste hidrostático para que seja testado, inspecionado e verificado as condições gerais do extintor.

Venda e manutenção de mangueiras de incêndio – em conformidade com a NBR 12.779 e ITCB-22/19

As mangueiras de incêndio são classificadas em 5 tipos e possuem validade de 5 anos, sendo obrigatório o teste hidrostático anual

Tipo 1 – Uso residencial
Tipo 2 – Uso residencial e comercial
Tipo 3 – Uso comercial e industrial
Tipo 4 – Uso industrial
Tipo 5 – Uso industrial e em vegetações devido sua resistência à superfícies quentes

Brigada de emergência (brigada de incêndio)

Edificações públicas e privadas devem atender os requisitos mínimos estabelecidos pelo Decreto Estadual 63.911/2018, NR-23, ITCB-17/19 e NBR 14.276, compondo assim, sua brigada de emergência.

A brigada de emergência é composta por um grupo voluntário de colaboradores de uma edificação/empresa, será consultada a IT-14/18 à fim da identificação de risco de incêndio de acordo com a sua carga em MJ/m², posteriormente, o nível do treinamento será mensurado de acordo com a IT-17/18 podendo se enquadrar nas seguintes situações:

Empresas de risco baixo de incêndio, possuem em média até 300 MJ/m², treinamento de nível básico com 4 horas de treinamento;

Empresas de risco médio de incêndio, possuem em média de 300 à 1.200 MJ/m², treinamento de nível intermediário com 8 horas de treinamento;

Empresas de risco alto de incêndio, possuem carga superior à 1.200 MJ/m², treinamento de nível avançado com 24 horas de treinamento;

Os treinamentos devem ser realizados em campos de treinamento que atendam a NBR 14.277.

Dúvidas frequentes
“Preciso dimensionar a brigada de emergência da minha empresa, como faço ?”
R: O dimensionamento é realizado de acordo com o risco, sendo necessário um especialista habilitado para que seja realizado o cálculo de carga de incêndio. Será consultado o Decreto estadual de segurança contra incêndio para verificar se é exigido a formação de brigada de emergência. Após consulta do decreto, sendo constatada a necessidade de formação de brigada de emergência, obtendo o risco de incêndio de acordo com a sua carga, será aplicado o dimensionamento de brigada conforme IT-17/19, solicite um de nossos consultores para obter dados e quantidade de forma precisa.
——————————————————————————————————————————
Terceirização da mão de obra de Bombeiros Civis

Bombeiro civil com formação em conformidade com a Lei Federal 11.901, Lei estadual 15.180, Portaria 008/600-14 e NBR 14.608

Os bombeiros contratados pelo CFAB-SP possuem treinamento especializado para melhor atender seus postos de trabalho.

Anualmente/bienalmente serão requalificados, especializados em:

Requalificação de Bombeiro civil
NR-10 (Segurança em instalações e serviços com eletricidade)
NR-20 (Líquidos inflamáveis, combustíveis e gases)
NR-33 (Supervisão de entrada e trabalhos em espaços confinados)
NR-35 (Trabalho em altura com ênfase em resgate)
Inglês emergencial
Libras emergencial

Sem gerar ônus à contratante, em postos de trabalho onde há a contratação de Bombeiros do CFAB-SP, fica incluso no contrato o treinamento in company anual de Brigada de emergência, elaboração e renovação do Plano de ação emergencial.
——————————————————————————————————————————

Locação de ambulâncias (Suporte básico de vida e UTI Móvel),

Características da ambulância:

1.Isolamento térmico acústico
2. Revestimento das laterais e teto em material lavável
3. Divisória original do veículo, com janela corrediça
4. Fiação padrão ABNT, passadas em conduíte
5. Tomadas 12 ou 110 volts, sendo uma de captação externa, com cabo de 20 Metros.
6. Inversor de voltagem e bateria selada auxiliar
7. Luminárias interna com interruptor
8. Farol de embarque instalado sobre as portas traseiras
9. Piso em compensado naval
10. Manta do tipo PVC, aplicada sob o compensado naval
11. Vidros com película, sendo corrediço na lateral direita e fixos nas portas traseiras
12. Régua tripla completa com regulador, fluxômetro, aspirador, umidificador.
13. Cilindro de oxigênio de 16 litros e suporte com cintas do tipo catraca
14. Armário na lateral esquerda, possuindo bancada, prateleiras e local para colocação do cilindro e colocação da prancha
15. Banco do médico com cinto de segurança
16. Ventilador / exaustor, fixado sobre o teto do veículo
17. Suporte para soro e plasma
18. Maca do tipo retrátil em alumínio, cabeceira regulável, colchonete e rodízios
19. Sinalizador acústico visual tipo barra com 4 tons e módulo de controle
20. Luzes de advertência fixadas nas laterais e traseira do veículo
21. Reforço colocado sobre o piso e embaixo de cada rodízio da maca
22. Rádio comunicação fixo e móvel

DEMAIS ACESSÓRIOS
23. Ar condicionado com dupla saída para paciente e motorista
24. Cadeira de rodas dobrável em alumínio
25. Bomba de infusão UTI
26. Cardioversor UTI
27. Oxímetro de pulso com sensor UTI
28. Respirador UTI
29. Mochila tipo 192 azul e laranja
30. Mochila para ampola amarela
31. Mala de resgate vermelha
32. Mala de resgate azul
34. Prancha curta em compensado naval com cintos
35. Dois suportes para soro
36. Instalação de rede de O2

Além de todos os materiais de pronto atendimento.

Todas as ambulâncias podem ser equipadas como UTI Móvel, o que diferencia a ambulância básica da UTI é

a presença do médico.

——————————————————————————————————————————
Segurança em operações com Helicópteros

Conjunto de procedimentos de segurança para profissionais envolvidos em operações com helicópteros, conforme Portaria 1141 e ITCB-31.

Dúvidas frequentes
“Sou bombeiro, preciso fazer à parte o curso de Heliponto ?”
R: Não, o curso de heliponto não pode ser vendido à parte pois já deve ser contemplado em sua formação conforme a NBR 14.608. O curso de segurança em operações com Helicópteros é um curso de especialização realizado em um Heliporto com balizamento real de aeronaves, aproximação; embarque e desembarque seguro, procedimentos de emergência em acidentes que envolvam aeronaves de asas rotativas.
——————————————————————————————————————————

 

Desencarceramento veicular

Treinamento de especialização voltado para profissionais atuantes em resgate, sendo rodoviário ou público (corpos de bombeiros municipais, militares e voluntários), Bombeiros Civis/Industriais, auditores de campeonatos de resgate e profissionais da área da saúde em geral. O curso tem como objetivo capacitar os profissionais nos códigos NFPA 1670 e NFPA 1936, onde realizarão procedimentos de desencarceramento em vítimas retidas ou presas em seus veículos.

Carga horária: 16 horas
———————————————————————————————————————————————————

Desfibrilador Externo Automático (DEA)

Lei 13.945 – Diretrizes da AHA (American Heart Association) 2015 e atualizações de 2017.

O curso tem como objetivo em capacitar os colaboradores da sua empresa à utilizar o desfibrilador externo automático, um equipamento simples e de fácil utilização, porém, é exigido o treinamento e capacitação para aptidão. Reconhecerá uma das principais emergências que é a parada cardiorrespiratória (PCR), na aplicação correta do equipamento, o equipamento irá reconhecer a modalidade de parada e recomendará ou não o choque, onde poderá ocorrer a reversão da PCR.

Carga horária: 4 ou 8 horas

Dúvidas frequentes
“Quem pode se matricular no curso ?”
R: O curso é livre para todos os profissionais, recomendado principalmente à aqueles que possuem um Desfibrilador externo automático em seu local de trabalho ou de frequente visita.
———————————————————————————————————————————————————
Combate à incêndio em vegetações – Incêndio florestal

ITCB-17/19 – Lei 12.727/12 – NR-31

O curso tem como objetivo capacitar equipes de resposta em emergências à combaterem incêndios em vegetações ou terras selvagens conforme descrito na ITCB-17/19, sendo localizadas em áreas urbanas e rurais. O treinamento envolverá diversos procedimentos para atender este tipo de emergência, técnicas de combate à incêndio, métodos para limitação da propagação, procedimentos gerais de segurança e integração de equipes de emergência.

Carga horária: 8 ou 16 horas
———————————————————————————————————————————————————
]

 

Emergências industriais

Treinamento voltado para atualizações e capacitações em resposta à emergências tecnológicas, com o avanço da tecnologia as emergências podem se comportar de maneiras diferentes, visando essas alterações, o profissional será capacitado para atender de forma eficiente os incêndios industriais, visando a preservação da vida, meio ambiente e patrimônio.

Carga horária: 8 ou 16 horas
———————————————————————————————————————————————————
Atendimento pré-hospitalar (APH)

Portaria 2.048 do Ministério da Saúde

O curso de atendimento pré-hospitalar tem como objetivo capacitar os profissionais à prestarem atendimentos que antecedem os cuidados hospitalares conforme a Portaria 2.048 do Ministério da Saúde. O profissional capacitado poderá atuar em eventos, empresas e ambulâncias. O curso será ministrado por profissionais atuantes há mais de 15 anos na área da emergência sendo eles médicos, enfermeiros, bombeiros e resgatistas, o curso conta com estágio de 12 horas em ambulância e 12 horas em hospitais.

Carga horária: 220 horas
———————————————————————————————————————————————————
 

Comentários

Comentários