De acordo com grandes estudos populacionais, o Acesso Público à Desfibrilação (APD), colocando DEAs à disposição de leigos treinados no seu uso, tem o potencial de ser a intervenção que representa o maior avanço no tratamento da PCR em fibrilação ventricular, desde o desenvolvimento da RCP, pois permite que as vítimas sejam desfibriladas dentro dos primeiros minutos de PCR. Há evidências de que o manuseio de DEAs, dentro de programas de APD, pode dobrar a sobrevida de vítimas, em comparação ao acesso ao SAMU.

O CFAB-SP, Escola de Bombeiro Civil, é um Ponto de Acesso Público a Desfibrilação.
Em 09 de Dezembro de 2016, por volta das 18:55 fomos solicitados por um cidadão para atendimento a uma vítima inconsciente, masculino, aproximadamente 45 anos, na rua Américo Salvador Novelli 521, a vitima encontrava-se em parada cardiorrespiratória, iniciado o protocolo de RCP, utilizado o DEA um choque aplicado. A vítima foi removida aos Hospital Santa Marcelina.
Não temos informações do estado da vitima.

Ministério da Saúde. Datasus: Indicadores de mortalidade: mortalidade proporcional por grupos de causas. [Acesso em 2012 Jan 22]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/ tabcgi.exe?idb2010/c04.def

 

Comentários

Comentários