Muita gente não dá valor, mas o uso de gelo para controlar e prevenir processos inflamatórios é realmente eficaz.

O gelo (ou meios que proporcione baixas temperaturas) deve ser a primeira atitude a ser tomada numa lesão ou dor aguda, principalmente nas primeiras 48 horas, pois diminui o metabolismo, reduzindo a necessidade de oxigênio para a célula e isso possibilita uma recuperação mais rápida e com menores danos para o músculo ou articulação. O frio contribui no controle do edema (inchaço), pois, como causa contração dos vasos sanguíneos, evita o escape de líquidos no local da lesão, além de diminuir a extensão dos danos nas células do tecido lesado (músculo ou articulação).

O USO DE BAIXAS TEMPERATURAS CONTRIBUI PARA…

-Melhora da dor.
– Diminuição de edema e hematomas.
– Redução do processo inflamatório.
– Permite a movimentação precoce.
– Melhorar a amplitude do movimento.
– Redução do metabolismo
– Estimular o relaxamento.
– Reduzir os espasmos musculares.
– Preservar a integridade das células do tecido lesado (evita morte celular).
– Limitar a evolução da lesão.

PRECAUÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES AO GELO
É preciso ter cuidado quando for utilizar o gelo nos seguintes casos

– Doença cardíaca como hipertensão, arritmia ou angina.
– Áreas com nervos superficiais.
– Antes da prática esportiva, pois como altera a sensibilidade e melhora a dor, pode “mascarar” lesões.
– Antes da realização de alongamentos: pelo mesmo motivo descrito acima, o atleta corre o risco de exceder o limite de estiramento do músculo, causando lesões nas fibras musculares.
– Cuidado para não dormir ou exceder o tempo de aplicação do gelo para não lesar a pele ou outras estruturas por diminuição excessiva da temperatura (necrose).

Fonte: revistacontrarelogio

Comentários

Comentários