Respirar em saco de papel é método perigoso para combater hiperventilação
Técnica funciona, mas problema pode ser confundido com outras condições.
Quando isso acontece, esforço pode causar mais problemas do que solucioná-los.

Assim como o curativo é o símbolo do corte e o gesso é o símbolo da perna quebrada, o saco de papel é símbolo da hiperventilação — a respiração mais rápida e profunda do que o normal.

Pegar um saco de papel e respirar repetidamente nele, conhecido na literatura médica como “re-respiração”, há muito tempo é recomendado para aliviar a respiração rápida e descontrolada. Alguns médicos até guardam sacos de papel no consultório por este motivo. Mas a maioria dos estudos médicos e dos especialistas sugere que o método, apesar de aceito, é perigoso e deveria ser aposentado.
A idéia por trás dessa prática é aumentar os níveis de dióxido de carbono. A hiperventilação faz com que o corpo expulse muito dióxido de carbono, e a “re-respiração” do ar expirado ajudaria a recuperar esse gás perdido.

O problema é que muitos estados de saúde, como asma e ataques cardíacos, podem ser confundidos com hiperventilação. Nesses casos, reduzir oxigênio e aumentar os níveis de gás carbônico pode ser fatal. Um estudo no “The Annals of Emergency Medicine” descreveu três casos nos quais pessoas sofrendo de ataque cardíaco pensaram, erroneamente, que estavam tendo hiperventilação e morreram depois de perder oxigênio por respirarem em sacos de papel.

Outro estudo afirmou que usar um saco de papel é tão eficiente para aliviar a hiperventilação quanto respirar em um cano aberto. Para obter resultados melhores, dizem os especialistas, fique calmo e procure respirar devagar e deliberadamente.

Fonte: g1.

Comentários

Comentários