Novo método de controlo de “sangramento” hemorragias.

Novo método de controlo de “sangramento” hemorragias.

XSTAT
Novo método de controlo de “sangramento” hemorragias.

Em 15 segundos o curativo inteligente pode controlar rapidamente um grande sangramento. Utilizados no controle de hemorragias foi um dos dispositivos testados na guerra do Iraque.

Uma esponja feita a partir de polpa de madeira e revestida com quitosana, uma substância antimicrobiana que é obtida em cascas de camarão e ajuda na coagulação do sangue.

Uma empresa de Oregon, nos Estados Unidos, criou um dispositivo que pode ajudar a evitar a morte de vítimas de feridas profundas, como as causadas por tiros e esfaqueamentos. A seringa, chamada XStat, conta com esponjas em seu interior, capazes de estancar o sangue.

A solução já é utilizada em campos de batalha desde 2014 e, nesta semana, foi aprovada pelo Food and Drugs Administration, o órgão dos Estados Unidos que regula a produção de remédios e alimentos.

Cada seringa conta com 92 esponjas comprimidas, revestidas de materiais absorventes.

GESTÃO DE VIAS AÉREAS E VENTILAÇÃO ATLS 10º Edição

GESTÃO DE VIAS AÉREAS E VENTILAÇÃO ATLS 10º Edição

As primeiras mortes evitáveis ​​por problemas nas vias aéreas pós trauma geralmente são o resultado de:
 
• Falha em avaliar adequadamente a via aérea
• A incapacidade de reconhecer a necessidade de um
intervenção do trato respiratório
• Incapacidade de estabelecer uma via aérea
• Incapacidade de reconhecer a necessidade de um plano alternativo, repetidas tentativas de intubação mal sucedida.
• Se uma via aérea incorreta não for reconhecida ou não utilizar as técnicas apropriadas para garantir a colocação adequada do tubo
• O deslocamento de uma via aérea previamente estabelecida
• Se a necessidade de ventilação não for reconhecida, existem muitas estratégias e opções de equipamentos para gestão de
pacientes com traumatismos.
Os equipamentos e as estratégias que têm sido associadas com a maior taxa de sucesso são aqueles que são bem conhecidos e comumente usados no ambiente específico. Equipamentos para vias aéreas recentemente desenvolvidos podem não ser uma boa ferramenta em mãos inexperientes !
O manequim mais utilizado no mundo- A História de Resusci Anne

O manequim mais utilizado no mundo- A História de Resusci Anne

Milhões de pessoas em todo o mundo aprenderam a fazer ressuscitação cardiopulmonar (RCP) em um manequim conhecido como Resusci Anne. A história por trás da modelo do século 19 – ou, pelo menos, uma versão dela – vai ser contada em um simpósio em Londres para marcar o European Restart a Heart Day. Mas será que alguém realmente sabe alguma coisa sobre ela?

A oficina Lorenzi é um pequeno paraíso de antiguidades em Arcueil, um movimentado subúrbio de Paris. E é o último de sua categoria. No andar de baixo os mouleurs, aqueles que fazem os moldes, criam estatuetas, bustos e estátuas, despejando gesso em moldes da mesma maneira que eles têm feito desde que o negócio da família começou, na década de 1870.

Mas, se você quer ficar cara a cara com a história, suba as escadas de madeira empoeiradas para o sótão da oficina. É uma experiência perturbadora. Há máscaras de poetas e artistas, políticos e revolucionários penduradas por todos os lados: Napoleão , Robespierre, Verlaine, Victor Hugo, a face robusta e impaciente de Beethoven quando era vivo e a feição pálida do compositor em sua máscara feita após a morte.

No entanto, surpreendentemente, de todos os rostos em exibição no Lorenzi, o mais vendido é a máscara de uma jovem mulher. Ela tem um rosto atraente, agradável, com um breve sorriso em seus lábios. Seus olhos estão fechados, mas dão a sensação de que podem abrir a qualquer momento. Esta é a única máscara que não tem nome. Ela é conhecida simplesmente como L’Inconnue de la Seine, a mulher desconhecida do rio Sena.

A mulher desconhecida

E assim sua história começa. Em algum momento no final do século 19, o corpo de uma jovem mulher que morreu afogada foi encontrado no rio Sena. Como era costume naquele tempo, seu corpo foi colocado em exposição no necrotério de Paris, na esperança de que alguém iria reconhecê-la e identificá-la. O patologista de plantão ficou tão encantado com a expressão da menina e seu enigmático meio-sorriso que ele pediu a um moldador que fizesse um molde de gesso de seu rosto.

Em pouco tempo, a máscara começou a ser vendida fora das oficinas dos mouleurs na margem esquerda do rio, e logo a jovem se tornou uma musa para artistas, escritores e poetas, todos ansiosos para criar identidades e histórias imaginárias sobre a mulher misteriosa, a Mona Lisa afogada.

Ao longo dos anos, nomes como os poetas Rainer Maria Rilke e Louis Aragon, o fotógrafo e pintor Man Ray e o escritor Vladimir Nabokov foram enfeitiçados pela Inconnue, e houve um tempo em que nenhuma sala moderna na Europa estava completo sem uma máscara dela na parede.

Uma das primeiras histórias criadas com a personagem foi a novela de 1899 The Worshipper Of The Image (O Adorador de Imagem, em tradução livre) de Richard le Gallienne, que retrata a máscara como uma força malévola que enfeitiça e acaba por destruir um jovem poeta.

Outros autores foram mais gentis. Muitos deles contaram a história de uma jovem inocente do interior, que chega a Paris, é seduzida por um amante rico e abandonada quando engravida. Sem ninguém a quem recorrer, ela se afoga nas águas do Sena. No necrotério, seu belo rosto, pacífico após a morte, é preservado para sempre com um molde de gesso.

Resusci Anne

Foi outro afogamento – ou quase afogamento – que garantiu à Inconnue um lugar na história da medicina.

Em 1955, Asmund Laerdal salvou a vida de seu filho, Tore, agarrando o corpo sem vida do menino de dentro d’água a tempo de limpar suas vias respiratórias. Na época, Laerdal era um bem sucedido fabricante norueguês de brinquedos, especializado na fabricação de bonecas e carros que faziam parte da nova geração de brinquedos plásticos moles.

Quando foi abordado para fazer um boneco para ajudar na formação técnica da recém inventada técnica de RCP – que combina compressões torácicas à respiração boca-a-boca e pode salvar a vida de um paciente cujo coração parou – a experiência de quase morte de seu filho alguns anos antes fez com que ele se interessasse pela ideia.

Asmund criou um manequim que simula um paciente inconsciente que precisa de RCP, mas queria que o boneco tivesse uma aparência natural. Ele também achou que um manequim do sexo feminino pareceria menos ‘ameaçador’ para os aprendizes.

Ao lembrar-se de uma máscara pendurada na parede da casa de seus avós, muitos anos antes, ele decidiu que a Inconnue de la Seine seria o rosto da manequim Resusci Anne. Então, se você for uma das 300 milhões de pessoas que foram treinadas em RCP, você quase certamente ‘beijou’ a desconhecida francesa.

Através da Resusci Anne, estudantes de primeiros socorros têm, por mais de 50 anos, tentado trazer de volta à vida a jovem do Sena. Mas será que a Inconnue é realmente o rosto de uma mulher morta? Ou será que foi tirada a partir de um modelo vivo?

Morta ou viva?

Anos atrás durante a produção de um programa para a Rádio 4 da BBC sobre esta história, a máscara foi mostrada para os homens e mulheres que se especializaram na recuperação de corpos afogados no Sena – a polícia do rio parisiense, conhecida como a Brigada Fluvial.

Sentado na sala de comando de um dos barcos policiais, ancorado em sua sede perto da Pont d’ Austerlitz, o chefe da brigada Pascal Jacquin não estava convencido de que a menina estava morta quando a máscara foi feita.

‘É surpreendente ver um rosto tão pacífico’, disse ele. ‘Todos que encontramos na água, os afogados e os que cometeram suicídio, nunca parecem em paz. Eles estão inchados, não têm uma boa aparência.’

Ao longo dos séculos, os artistas e escritores podem ter usado as histórias de Ofélia, personagem de Hamlet, e da Lady of Shallot, do poema do britânico Alfred Tennyson, para retratar a morte por afogamento como algo romântico e tranquilo, mas Pascal sabe, por experiência, que a verdade é muito diferente.

Mesmo os suicidas lutam pela vida no último momento e os seus rostos mostram essa luta. E o processo de decomposição começa muito mais rapidamente na água. Esta mulher, ele comentou, ‘parece estar apenas dormindo e esperando o príncipe encantado aparecer.’

Como tantos antes dele, a imaginação de Jacquin havia sido despertada pelo rosto da jovem e ele já tinha começado a tecer um conto de sua autoria sobre os olhos fechados, o misterioso sorriso, e o enigma da Inconnue.

Outros especialistas consultados pareceram concordar que o rosto do molde parecia muito saudável para ter sido retirado do rosto de um cadáver. Na oficina em Arcueil, Michel Lorenzi, o proprietário atual, está encantado com a fascinação das pessoas pela desconhecida do Sena.

‘Não me parece o rosto de uma pessoa morta. É muito difícil manter um sorriso enquanto um molde está sendo feito, então eu acho que ela era uma profissional, uma modelo muito boa. ‘

Inspirações

Para mim, existem duas possibilidades para a história. A primeira surgiu poucas semanas depois que o programa da BBC foi ao ar em 2009. Eu estava visitando o estúdio do fotógrafo Edward Chambre Hardman em Liverpool, um local da primeira metade do século 20 perfeitamente preservado, onde pessoas importantes da época se sentaram para ter um retrato feito por ele. Ao ver a máscara da Inconnue na parede de sua sala de espera perguntei ao guia, ingenuamente, quem era a jovem.

Sem hesitar, ela me contou a história de duas irmãs, gêmeas idênticas, que tinham nascido em Liverpool mais de um século atrás. Uma delas, segundo a guia, se envolveu em um caso de amor com um pretendente rico e fugiu para Paris, para nunca mais ser vista. Muitos anos depois, a outra irmã foi a Paris de férias. Andando por uma rua ela ficou surpresa ao ver a máscara da Inconnue afogada pendurada do lado de fora de oficinas de moldadores.

Ela reconheceu imediatamente a menina como sua irmã gêmea há muito desaparecida, condenada – ou abençoada – a permanecer eternamente jovem, enquanto sua irmã envelheceu. Fiquei fascinado pela história. Mais uma vez, uma história foi criada em torno do enigma da Inconnue.

A outra vem de um artista baseado em Oxford chamado John Goto. Anos atrás, ele decidiu criar sua própria ficção para o rosto.

Ele relatou em detalhes um trabalho de detetive que parecesse verdadeiro – seguindo ‘pistas’ que conduziram à descoberta de um cartão de vistas da virada do século encontrado em uma loja em Buenos Aires.

Esta e outras evidências provariam, supostamente sem deixar dúvidas, a identidade da Inconnue – ela teria sido uma atriz húngara chamada Ewa Lazlo, que foi assassinada por seu amante, Louis Argon. Goto colocou a história e suas ‘provas’ online, e começou outros projetos.

Fim do mistério

Foi intrigante, portanto, me deparar com detalhes do simpósio do European Restart a Heart Day, que acontece em Londres. Durante o dia, uma série de alto-falantes compartilham as últimas pesquisas sobre melhoras nas taxas de sobrevivência após uma parada cardíaca. Mas à noite, o entretenimento é fornecido pelo grupo Mulberry Hawk. Eles vão fazer uma performance que, de acordo com a sinopse, “conta a história de Ewa Lazlo, que se tornou a inspiração para o rosto da Resusci Anne, a primeira manequim usada na formação de RCP, e a garota mais beijada do mundo”.

Então, eu pensei, a história de Ewa está começando a ter vida própria. Vários sites e blogs estão citando como fato que ela é a Inconnue.

Goto admite se sentir um pouco desconfortável com a sua criação. ‘Eu tinha assumido que as pessoas teriam uma visão pós-moderna e tratariam a história como ficção’, ele me disse. ‘Eu realmente não esperava que eles fossem levar a sério.’

Mas mesmo se Ewa for uma lição para não acreditarmos em tudo que se lê na internet, é improvável que a história vá muito além.

O que amamos sobre a Inconnue é a incerteza, o enigma. O que dá valor à máscara é o mistério ao seu redor.

No momento em que tivermos um nome, uma história de vida, aquele mistério está morto.

Curso de primeiros socorros gratuito

Curso de primeiros socorros gratuito

Dia 15 de Setembro 2018

Público: pais, avós, babás, professores, cuidadores de idosos e de pessoas com necessidades especiais.
Conteúdo:
Conceito de emergência;
Forma de acionamento do serviço público de socorro;
Emergências clínicas:
Obstrução de vias aéreas,
Desmaio, convulsões, AVE, infarto, parada cardiorrespiratória.
Emergências traumáticas: Queimaduras, ferimentos, fraturas, hemorragias.

Coordenação: João José de Godoi
BOMBEIRO CIVIL
Instrutor em serviços de emergências 2017 – NFPA 1041 Standard for Fire Service Instructor Professional Qualifications.

Formação:
Pós Graduação em Urgência e Emergência – Universidade Nove de Julho – 2008
Ensino Superior, Graduação Bacharel em Enfermagem – Universidade Camilo Castelo Branco, 2007.

Técnico em Segurança do Trabalho – Escola Técnica Estadual Martin Luther King, 2002.

Experiência profissional e capacitações:
Capacitação em suporte básico de vida para profissionais de saúde da American Heart Association (AHA) em 2016.

Membro da comissão do CB-24 (Comitê Brasileiro de Segurança Contra Incêndios)
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, participa da revisão de elaboração das seguintes normas:
NBR 14.276 Brigada de Emergência
NBR 14.608 Bombeiro Civil
NBR 15.219 Plano de Emergências.

Professor Convidado do COREN Educação (Conselho Regional de Enfermagem) como palestrante para Auxiliar, Técnicos e Enfermeiros.

Membro convidado do Ministério da Saúde na revisão e elaboração dos protocolos básico e avançado de atendimento SAMU 192.

Enfermeiro de Bordo em Transporte Aeromédico – Aeroporto de Congonhas.
Enfermeiro da unidade de Suporte Avançado do Resgate Rodoviário Base Rodovia SP – 021.
Voluntário na ONG Força Tarefa Brasileira em diversas missões humanitárias, incluindo Resgate Aéreo em locais de difícil acesso ( Teresópolis RJ, Lontars SC 2011).

Instrutor em Transporte e Resgate Aeromédico – Santa Casa de São Paulo.

Foi Enfermeiro da unidade de Suporte Avançado no Autódromo de Interlagos e instrutor convidado do GRPAe – Grupamento de Rádio Patrulhamento Aéreo (Águia) CTO em 2012.

Professor convidado do curso de pós graduação Latu Sensu da UniAraras no cursos de Resgate e Transporte Aeromédico e Fisiologia de Voo, também ministra o curso de Transporte Aeromédico para pilotos de empresa de táxi-aéreo e profissionais da área da saúde.

Docente na disciplina em Enfermagem, com ênfase em Enfermagem de Saúde do Adulto, Urgência e Emergência, Medicina e Enfermagem em Transporte Aeroespacial (Uniararas).

Professor convidado da Universidade Estácio de Sá no curso de Pós graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho nas disciplinas Explosão e Prevenção e Controle de Incêndios em Plantas de Alto Risco.

Advanced Fire Fighting School
Capacitação na Universidade do Texas – Texas A&M University System Estados Unidos em 2015 – Resposta em Emergências com produtos perigosos inflamáveis, líquidos e gases, fogo tridimensional 2D e 3D. Métodos de propagação do fogo (convecção, condução, radiação e projeção), dinâmicas e definições sobre, BOILOVER, FLASHOVER, BACKDRAFT, BLEVE;
sistemas fixos e portáteis de prevenção e combate a incêndio e métodos de utilização; técnicas e táticas de combate a incêndio Estrutural (Ataque direto, indireto e combinado – Técnica 3DWF -Three Dimensional Water Fog e Rapid Fire Progress); Técnicas de ventilação natural e forçada nas operações de combate a incêndio Estrutural; Técnicas de combate em Plantas Petroquímicas e de Gás (esferas de GLP) e tanques, Utilização e forma de atuação do LGE Proteínico, Fluorproteínico, AFFF e Formador de Filme Aquoso Resistente a Álcool, taxas de expansão e dosagens utilizadas para Álcool e Hidrocarbonetos (Sintex AFFF), Sistema fixo de espuma (tanque de LGE, proporcionador e solução), principais técnicas de combate (Attack Deflection, Rolling the Foam,
Blanket Of Foam e Flood attack).

Coordenador do grupo voluntário GUARDIÕES FLORESTAL atuando do controle de incêndio em vegetação área de proteção ambiental inserida na Zona Leste de São Paulo em parceria com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

Atuação como voluntário no maior incêndio da história do Chile, pela 5° Companhia de Bombeiros de Concepcion (fevereiro de 2017).

ENB – Escola Nacional de Bombeiros de Portugal,
Capacitação no primeiro treinamento internacional de alta performance em resposta a emergências na Europa.
Conteúdo:
Busca e Salvamento – Nível Avançado.
Utilização de proteção respiratória e equipamentos auxiliares;
Procedimentos de segurança relacionados a equipamentos respiratórios;
Efeitos no corpo humano relacionados a utilização e equipamentos de proteção
respiratória;
Procedimentos de Segurança – RIT (Radid Intervention Team);
Procedimentos de Busca e Salvamento – RIT (Radid Intervention Team);
Remoção de Vítimas – RIT (Radid Intervention Team):
Atividades Práticas em Simuladores.

Flashover – Nível Avançado
Comportamento dos incêndios em ambientes urbanos / estruturais;
Controle dos fenômenos de progressão rápida dos incêndios;
Procedimentos de acesso e progressão;
Atividades práticas em simuladores.
Gestão de Operações de Emergência
Sistemas de gestão de operações de emergências;
Exercícios de gestão de operações utilizando realidade virtual;
Atividades práticas no Centro de Treinamento em Realidade Virtual.

Hazmat Medical: capacitação pela Universidade do Texas – Texas A&M University System Estados
Unidos em 2017
Medical Services Personnel Who Respond to Incidents with Hazardous Materials
 Response Proteção Pessoal
 Cuidados RAPID
 Equipamento de Proteção Individual
 Descontaminação de pessoal de resposta
 Reabilitação remoção PPE
 Avaliação
 Produtos químicos
 Agentes radiológicos
 Agentes biológicos
 Pacientes pediátricos
 Explosivos
 ICS e Preparação de hospital
 Fontes de informação
 ERG, NIOSH, CAMEO / ALOHA
 Triagem
 Preparação de hospital
 Gestão de cadáveres
 Ambulatório de descontaminação e não-ambulatorial.

Capacitação em Resgate em Espaços Confinados – NFPA 1006 2013 Edition Confined Space Rescue
Capacitação pela Universidade do Texas – Texas A&M University System, Estados Unidos em 2018
Descrição
Resgate em espaços confinados
Materiais para aula prática: Tripé, sistema de ar mandado para “trabalhadores”, Detector de gases, monitora 4 (quatro) tipos de gases simultâneos: Gases Explosivos (LEL), Oxigênio (O2), Monóxido de Carbono (CO) e Gás
Sulfídrico (H2S).
Sistema EPRA de fuga para emergências, ventilação local diluidora e exaustora ( VLD/VLE), sistema de resgate
com vantagem mecânica e captura de progresso.
Análise de perturbação de atmosferas (EC perturbado/não perturbado), controle de atmosfera IPVS
(inertização, purga).
Atendimento a emergências médicas aos resgatados e cuidados especiais.

Local: Av. Itaquera, 8245
Inscrições: cfab@cfab.com.br
WhatsApp:
11 979598390

Saiba tudo sobre AVCB – CLCB – AUTO DE VISTORIA DO CORPO DE BOMBEIROS

Saiba tudo sobre AVCB – CLCB – AUTO DE VISTORIA DO CORPO DE BOMBEIROS

Tire todas suas duvidas WhatsApp  (11) 979598390

Orçamento sem compromisso.

CLCB – Certificado de Licença do Corpo de Bombeiros

A partir de Outubro de 2014, o Corpo de Bombeiros de São Paulo, o CLCB (Certificado de Licença do Corpo de Bombeiros) em substituição, em alguns casos, ao AVCB , para edificações com baixo potencial de incêndio e que se enquadre na Instrução Técnica de nº 42/2014.

Conte com nossa assessoria, competência e transparência para regularização de seu imóvel através do CLCB. Faremos uma vistoria prévia no local, caso estando dentro das normas em vigor providenciaremos todas as documentações necessárias e em poucos dias entregamos o seu Certificado de Licença do Corpo de Bombeiros. Caso necessite de adequações ou equipamentos, fornecemos e assessoramos com a finalidade de saná-las.

Documentos necessários para obtenção do CLCB:

  • ART (Anotação de Responsabilidade Técnica): Documento emitido por um profissional competente (engenheiro / arquiteto) referente a instalação e/ou manutenção dos sistemas de segurança contra incêndio.
  • ART de gases inflamáveis, vasos sobre pressão. Caso tenha na edificação.
  • Formulário de Avaliação de Risco do Responsável Técnico.

A.V.C.B. .
AUTO DE VISTORIA DO CORPO DE BOMBEIROS – SP
CERTIFICADO DE LICENÇA DO CORPO DE BOMBEIROS – SP

Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (A. V. C. B.), é o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros da Policia Militar do Estado de São Paulo (CBPMESP) certificando que, durante a vistoria, a edificação possuía as condições de segurança contra incêndio (É um conjunto de medidas estruturais, técnicas e organizacionais integradas para garantir a edificação um nível ótimo de proteção no segmento de segurança contra incêndios e pânico.), previstas pela legislação e constantes no processo, estabelecendo um período de revalidação.

EM QUE CASOS É OBRIGATÓRIO O A.V.C.B / C.L.C.B.

Torna-se obrigatório em boras e formas, construções em geral;

Mudança no layout da ocupação;

Quando se amplia uma área;

Eventos provisórios: Shows, Circos, Confraternizações onde haja grande numero de publico.

Estádios de Futebol entre outros.

É obrigatório o AVCB e o CLCB ?

Somente residencias UNIFAMILIAR, ou seja, residencia onde habitam uma família.

No demais locais é obrigatório, exemplo:

Comércios, edificações comerciais (padarias, farmácias, clinicas, hospitais, shoppings, teatros, cinemas, casas noturnas, bares e restaurantes entre outros).

CERTIFICADO DE LICENÇA DO CORPO DE BOMBEIROS (CLCB)

Certificado de Licença do Corpo de Bombeiros (C.L.C.B.), é o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros, certificando que o local atende as exigências de segurança contra incêndio.

Tanto o AVCB quanto o CLCB ratificam a segurança contra incêndios, como é exigida por Lei.

SOLICITAÇÃO DE CLCB PARA:

Edificação térrea;

Não comercializar GLP (Gás Liquefeito de Petróleo);

Os estabelecimentos que possuir GLP (gás liquefeito de petróleo), não pode exceder os 90 kg do gás.

Veja também:

Curso de capacitação em elaboração de AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), projeto técnico simplificado.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Conheça os principais tópicos e matérias que o aluno aprenderá durante o curso de AVCB:
Introdução sobre a Legislação e definição da Obrigatoriedade do AVCB
Conceitos Importantes:
Formas de Apresentação de Projetos
Medidas de Segurança contra incêndios
Via Fácil – do papel ao sistema.
Quando fazer o projeto técnico simplificado (PTS)?;
Classificação das Edificações;
Instrução Técnica 42/2014 (projeto técnico simplificado – PTS);
EXIGÊNCIAS TÉCNICAS PARA PTS – TABELA 5 DO REGULAMENTO;
Proteção e Extração das vítimas;
Aberturas de acesso;
Criação de espaços;
Proteção de colunas e pontas vivas.
Considerações Finais – Fechamento
Ao final do treinamento os participantes estarão aptos a:
– Identificar e interpretar os diferentes tipos de Edificações
– Classificar as Edificações conforme tabelas do Decreto
– Avaliar e selecionar qual o tipo de Projeto Técnico para diferentes situações
– Compor (Esquematizar) a etapas de um PTS – Projeto Técnico Simplificado.
– Interpretar a Instrução Técnica n° 42 Elaborar projetos Técnicos Simplificados.

1. Introdução sobre a Legislação e definição da Obrigatoriedade do AVCB Principais aspectos e Legislações aplicáveis à segurança contra incêndios, em especial o código estadual de segurança contra incêndios e emergências, e o regulamento de segurança contra incêndio das edificações e áreas de risco do estado de São Paulo. Objetivos da segurança contra incêndios. Obrigatoriedade e responsabilidade sobre o auto de vistoria do corpo de bombeiros (AVCB). Fiscalização e poder de polícia do Corpo de Bombeiros.

2. Conceitos Importantes: neste momento faremos uma dinâmica rápida elucidando os principais conceitos que serão detalhados/estudados ao longo do curso com o objetivo de apenas situar o aluno no contexto do curso, tais como: AVCB, CLCB, Altura, IT (instrução Técnica), PT (Projeto Técnicos), PTS (projeto técnico simplificado), NBR (Norma), e outros.

3. Formas de Apresentação de Projetos Os projetos técnicos são a forma de se apresentar as medidas de segurança contra incêndio formalmente junto ao Corpo de Bombeiros. Será abordado de maneira específica o PTS – Projeto Técnico Simplificado , o qual se aplica a edificações com área construída menor ou igual 750,00 m2 e altura menor ou igual a 12 m.

 

Primeiros Socorros em Bebês e Crianças – Lei Lucas

Primeiros Socorros em Bebês e Crianças – Lei Lucas

Diversos projetos de leis foram protocolados para que os estabelecimentos educacionais treinassem seus funcionários para ocasiões de primeiros socorros. Acontece que não só os estabelecimentos estudantis, mas todos aqueles que se adequam às exigências das normas regulamentadoras estão sujeitos a vistoria e investigação dos órgãos públicos. 

Origem da Lei Lucas 

Lucas Begalli Zamora, de 10 anos, morreu em setembro de 2017 ao se engasgar com uma salsicha de um lanche durante um passeio escolar. O caso aconteceu em Campinas (SP).
 
Após o ocorrido a mãe de Lucas, advogada Alessandra, vai em busca de leis ou projetos de leis que exigissem o treinamento de primeiros socorros para funcionários de escolas públicas/ particulares. Visando especificar e espalhar a ideia, conscientizando as pessoas e punindo com mais severidade os ambientes que não a seguissem. 
 
Investigando, Alessandra conhece O PROJETO DE LEI Nº 471, DE 2012 do Dep. Carlos Cezar do PSB, cujo descrevia justamente a exigência de todas indicações necessárias para os treinamentos no Estado de São Paulo. (Infelizmente era só um projeto).
 
Em 2015 o mesmo projeto de lei de 2012 chega à assembleia legislativa e é aprovado pelo presidente da mesma, SAMUEL MOREIRA, criando assim a lei LEI Nº 15.661, DE 09 DE JANEIRO DE 2015
entrando em vigor no primeiro dia vigente de 2016, aguardando a aprovação do Governador.
 
Em 27 de setembro de 2017 Lucas falece, causando grande comoção nacional e repercutindo nas assembleias e câmaras de mais de cem municípios de São Paulo. 
 
O projeto de lei ganha andamento novamente o atual Governador de São Paulo sanciona a LEI Nº 16.802 (atualização da Lei 15.661) DE 27 DE JULHO DE 2018, alterando alguns artigos como o seu Art. 6º que inclui no Art. 4º da Lei 15.661 o inciso “IV – bombeiros”, como profissionais aptos a ministrar o treinamento de primeiros socorros.
 
Essa alteração é fundamental para que escolas privadas que ministram treinamentos de primeiros socorros possam oferecer seus serviços.
 
A lei 16.802 é sancionada e entrará em vigor após 180 dias como o próprio artigo 10º alega.
Artigo 10 – Esta lei entra em vigor após decorridos 180 (cento e oitenta) dias de sua publicação oficial.
Palácio dos Bandeirantes, 27 de julho de 2018 
 
Data prevista para que todas as instituições organizem-se antes das possíveis sanções (penas ou multas) caso não haja regularidade.
 
A data para o seu vigor em SÃO PAULO é próxima ao dia 27 de janeiro de 2019.
 
Outra observação é o projeto de lei que recentemente foi aprovado pelo presidente da república Michel Temer, tornando o treinamento em primeiros socorros nas escolas uma lei federal. 
 
 
Esta lei tem um caráter mais amplo, contudo dá maior legitimidade para a fiscalização das demais leis estaduais e municipais.
 
E novamente, entrará em vigor após 180 dias:
“Art. 8º  Esta Lei entra em vigor após decorridos 180 (cento e oitenta) dias de sua publicação oficial.”
 
Aproximadamente 04 de abril de 2019.
 
—————————————————————————————————
 
Um dos grandes problemas de nosso país é a eficácia de nossas leis, quando vigoradas, serem aplicadas e fiscalizadas. Movidas muitas vezes pelo apelo social, o Governo se recusa a garantir sua eficiência na sociedade. A famosa frase: “Essa lei não pegou”, tornando o Brasil um território conhecido pela impunidade.
 

Observações fundamentais Lei Lucas

Aos campos de treinamentos que desejam oferecer os serviços de técnicas de primeiros socorros aos professores, recomenda-se observarem os seguintes critérios.
 
O que a lei diz a lei 16.802?
 

Artigo 4º – Os professores e funcionários das escolas serão treinados por profissionais, que poderão ser:

  1. Médicos;
  2. Enfermeiros;
  3. Auxiliares de enfermagem;
  4. Bombeiros.

– Inciso IV acrescentado pela Lei nº 16.802, de 27/07/2018.

§ 1º – Os professores e funcionários das escolas poderão candidatar-se voluntariamente para participar do treinamento em primeiros socorros.

§ 2º – Os conhecimentos de primeiros socorros deverão ser ministrados pelos profissionais listados nos incisos deste artigo de acordo com o disposto no Manual de Primeiros-Socorros editado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em parceria com o Núcleo de Biossegurança (NUBIO) da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). (NR)

O manual esclarece aquilo que toda instituição séria preza como princípios primordiais para o treinamento de primeiros socorros.

Em sua introdução deixa bem claro que qualquer pessoa treinada pode prestas os primeiros socorros. Tornando claro também que trata-se de um treinamento BÁSICO, que atenda 1/3 dos profissionais de cada turno das instituições. 

Cabe ao centro de treinamento entrar em contato com a Fundação Oswaldo Cruz e pesquisar suas exigências para ministrar os treinamentos de acordo com a metodologia de seu manual.

Após realizado o curso a instituição deve de prezar pelo Artigo:

Artigo 2º-A – A instituição de ensino deverá fixar em local visível e de fácil acesso o selo de identificação, padronizado para todas as unidades escolares, denominado Selo “Lucas Begalli Zamora”, com a finalidade de atestar que seus funcionários são habilitados no curso periódico de procedimentos de primeiros socorros. (NR)  

Uma boa questão. Como será esse Selo? Ainda não há material disponibilizado nos campos de pesquisa que definirá o formato desse documento. Visto que a lei ainda não foi vigorada e não se tornou uma exigência. 

 

 

O que eu faço se meu bebê engasgar?

Uma criança engasgada é provavelmente um dos maiores temores para os pais. Isso ocorre porque você só tem minutos para remover a obstrução antes que ocorram danos cerebrais permanentes ou até mesmo a morte.

 

Com o que os bebês engasgam?

Líquidos, pedaços de balões, pequenos objetos e alimentos são a causa mais comum de asfixia em bebês, e crianças. É de extrema importância saber como desengasgar um bebe e prestar os primeiros socorros,  pois geralmente é uma situação muito fácil e rápida de resolver, se você conhece a técnica correta. Idealmente, você deve fazer um curso de primeiros socorros com especializado e estar preparado para agir !

Como eu sei se meu bebê está engasgando?

O engasgamento é um bloqueio na via aérea que permite que o ar – principalmente o oxigênio – chegue até os pulmões. Os sinais e sintomas de um bebe engasgado são:

  • Dificuldade ou ausência de respiração;
  • Coloração da pele arroxeadas;
  • Olhos “arregalados” e desesperos na tentativa de buscar o ar, em casos mais graves o bebe perde a consciência.

 

Como faço para tentar desengasgar meu bebê (menos de um ano) estiver engasgado ?

Primeiro mantenha a calma, peça para que alguém chame o serviço médico de emergência (telefone 192 e 193)  pegue o bebê apoiando a cabeça, mantenha a cabeça do bebe mais baixo que resto do corpo dele. É muito provável que os bebês engasguem com um líquidos e nessa posição permite que seja drenado.

Em seguida, use a palma da mão contra o centro do dorso do seu bebê entre as escapulas e aplique  cinco golpes nas costas. Se isso não funcionar, coloque o bebê de costas em uma superfície plana como os joelhos ou o chão. Use dois dedos no centro do tórax e faça 5 compressões.

 

Resumo:

  • Pegue o bebê.
  • Incline a cabeça dele para baixo.
  • Cinco golpes nas costas.
  • Verifique se sai alguma coisa da boca.
  • Se não … coloque o bebê de costas no chão.
  • Faça cinco compressões no centro do tórax do bebe.

Repita o ciclo até a ajuda chegar.

CURSO DE BOMBEIRO CIVIL EAD A DISTÂNCIA

CURSO DE BOMBEIRO CIVIL EAD A DISTÂNCIA

Curso de Bombeiro Civil a distância.

Conheça os Cursos Semipresenciais do CFAB !

Atendendo a inúmeros pedidos de estudantes em diversas partes do país, nós decidimos facilitar a formação de Bombeiro Civil em todo Brasil.

Você que mora em outra cidade ou estado, trabalha, se locomove, vai à academia, cuida dos afazeres e nem sempre tem tempo para se dedicar aos estudos agora ficou mais fácil e pensando nisso o CFAB inovou mais uma vez e  trouxe possibilidade para você estudar e se capacitar profissionalmente em uma das profissões mais respeitadas.

O cursos EAD  representam a inovação e a flexibilidade, sendo que 60% do curso é realizado on-line e 40% presencial. Você precisará comparecer ao Centro de Treinamento apenas alguns vezes em horários que melhor o atenda para realizar as aulas e provas práticas. As aulas teóricas acontecem em ambiente virtual de aprendizagem do mais alto nível com videoaulas e material de leitura.

Esse formato de estudo além de ser mais procurado na atualidade traz a praticidade, também garante a você a segurança e o conforto do seu lar o que facilita o aprendizado, utilizados importantes tecnologias do CFAB que esta a mais de uma década no seguimento e já formou mais de 9 mil profissionais.

O CURSO TEM 8 MÓDULOS:
* Emergências  Médicas em APH
* Atividades Operacionais * EPI e EPR *Salvamento Terrestre * Equipamentos e Auxiliares *Análise de Risco
* Combate à Incêndio * Produtos Perigosos
INCLUSO MAIS 5 AULAS DENTRO DO MÓDULO DE EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM APH:
Animais Peçonhentos, Parto de Emergência, Inglês emergencial, LIBRAS emergencial
O aluno recebe da escola: Apostila, Camiseta, 1 par de luvas de vaqueta e 1 óculos de proteção.
DOCUMENTOS – sem taxa de matrícula
Para realizar a inscrição é necessário as cópias dos seguintes documentos:
RG, CPF, Comprovante de Endereço, 2 fotos 3×4, Histórico Escolar e Exame de Aptidão Física.
Incluso campo prático com simulador ao combate a incêndio, casa da fumaça, espaço para resgate em altura e espaço confinado. Escola credenciada pelo corpo de bombeiros e licença da
CETESB.
AV. ITAQUERA, Nº 8245 – EM FRENTE AO SENAC ITAQUERA – CENTRO
(11) 2072-9968 ou Whatsapp (11) 979598390

www.cfab.com.br
Venha conhecer a escola e assistir uma aula sem compromisso. sejam bem vindos