Desfibrilador (DEA) – Como usar?

Desfibrilador (DEA) – Como usar?

O DEA (Desfibrilador Externo Automático) é um aparelho que desfere cargas elétricas no coração em caso de alguém entrar em estado de parada cardíaca.

O DEA pode ser usado em crianças à partir de um ano de idade.

As ambulâncias possuem um DEA, mas usar um DEA, minutos antes da ambulância chegar na cena, pode dobrar as chances de sobrevivência da vítima. Portanto, cabe aos espectadores  encontrar, o quanto antes, o desfibrilador mais próximo.

 

Onde é que posso encontrar em Desfibrilador (DEA)?

 

Muitos lugares públicos possuem, ao menos, um Desfibrilador junto ao seu kit de primeiros socorros. Estes lugares incluí: Shopping centers, aeroportos, estações de trem grandes empresas e escolas.

Em caso não haver um Desfibrilador no local, ligue para o 192 enquanto realiza a ressucitação (RCP) na vítima até que a ambulância chegue.

 

 Como eu devo usar o Desfibrilador?

 

Não é necessário muito treinamento para utilizar o DEA. Você apenas precisa saber como que o equipamento funciona e como usá-lo da maneira correta.  Iremos lhe ensinar o passo à passo:

▪ Primeiro, certifique-se de que alguém chamou uma ambulância para o local e, até que o DEA esteja disponível, proceda com o RCP.

▪ Ligue o DEA assim que a ambulância chegar, o equipamento irá te dar orientações sobre o que você precisa fazer. Siga essas instruções até que a ambulância ou alguém com mais experiência que você chegue ao local para assumir a ação.

▪ Retire os Coxins (Eletrodos, também conhecidos como “pás”) de dentro do equipamento. Remova ou corte as roupas da vítima e apare todo e qualquer excesso de pelo do peito vítima.

▪ Remova o lacre dos coxins e aplique-os no peito da vítima.

▪ Coloque o primeiro Coxin no peito, no superior direito, justamente acima de seu mamilo, como indica o Coxin.

▪ Coloque o segundo Coxin no lado esquerdo da vítima, logo abaixo de seu mamilo, próximo à costela.

Assim que você finalizar esse procedimento, o DEA irá checar o batimento cardíaco da vítima. Se certifique que ninguém toque na vítima. Continue seguindo os comandos visuais e auditivos que o equipamento irá lhe fornecer até que uma ajuda especializada chegue no local.

_________________________________________________________________________________________________________________

Os cinco tipos de acidentes de trânsito

Os cinco tipos de acidentes de trânsito

É muito comum para praticantes de primeiros socorros se depararem com uma colisão entre veículos automotivos. A Organização mundial da saúde prevê que este tipo de acidente será a sétima causa de morte até o ano de 2030. Cerca de 1.25 milhões de pessoas morrem como resultado de acidentes de transito.

A gestão bem sucedida de pacientes com trauma depende da identificação dos ferimentos, ou dos ferimentos em potencial, e do tratamento correto.

Contudo, mesmo com boas habilidades de avaliação, o praticante de primeiros socorros pode perder alguns ferimento caso não suspeite deles, um ferimento pode ser negligenciado simplesmente por não sabermos onde procurar.

A habilidade para prever possíveis ferimentos é importante para saber o que fazer depois de encontrá-los.

Os acidentes de transito são divididos em cinco tipos:

-Impacto frontal;
-Impacto traseiro;
-Impacto lateral;
-Impacto rotativo;
-Capotamento;

Embora cada colisão seja diferente, por identificar em que direção a força foi aplicada no corpo, é possível prever os ferimentos mais prováveis.

Três colisões costumam acontecer em acidentes de transito. Primeiro,  o veículo colide com um objeto ou com outro veículo; Segundo, o(s) ocupante(s) colidem com o interior do veículo e, por fim, os órgãos do(s) ocupante(s) colidem entre si e/ou com a caixa torácica/caixa craniana.

IAM: Dor no braço – Entenda.

IAM: Dor no braço – Entenda.

O ataque cardíaco é uma emergência médica que envolve o bloqueio do abastecimento de sangue no coração.
O coração é uma bomba muscular que requer um abastecimento constante de sangue (contendo oxigênio). O sangue é fornecido através de pequenas artérias (conhecidas como artérias coronárias). Esses vasos sanguíneos podem ficar bloqueados, resultando em uma sessão em que o coração começa morrer por estar em  falta de oxigênio – Isso é o ataque cardíaco.
Dores no peito podem estar relacionadas ao infarto, mas também podem irradiar para o braço esquerdo.
Por que será que isso acontece?
DOR NO PEITO
O coração é um órgão interno, por conta disso ele não possuí um senso de dor bem definido. Em contraste, as pontas dos dedos são muito sensíveis e capazes de apontar, precisamente, onde a dor está ocorrendo – Exemplo são os cortes com papel ou até mesmo queimaduras, você consegue sentir onde  exatamente o ferimento está.
Dores a partir do coração (conhecidas como dores cardiacas) podem ocorrer em diversos lugares, como no braço esquerdo, mandíbula e ombros.
Isso acontece pois as fibras sensoriais que carregam informações sobre o coração estão conectadas na mesma parte da coluna vertebral em que o braço esquerdo e a mandíbula estão conectadas.
O cérebro é incapaz de distinguir entre a informação advinda do coração e a informação que advém do braço. Portanto, ele entende que a dor está vindo do braço.
Às vezes a dor pode ser sentida no braço direito ou nas costas.
Em casos raros, o ataque cardíaco pode não causar dor alguma. Estas são chamas de “ataque cardíaco silencioso” e são mais comuns em pessoas idosas ou com diabetes.
É importante que você ligue para a emergência médica o mais rápido possível caso você suspeite que um ataque cardíaco irá ocorrer. Lembre-se que, quando estamos lidando com ataques cardíacos, “tempo é músculo”, pois quanto antes a vítima receber um tratamento médico especializado, mais músculos cardíacos podem ser salvos.

______________________________________________________________________________

1
Olá ! Podemos ajudar!
Powered by